Desde o primeiro projeto da OMUNGA, me perguntavam se eu já havia escrito para o Luciano Huck. A resposta sempre foi a mesma: Na hora certa isso acontecerá e sem muito esforço!

E foi bem assim que aconteceu!

 

 

Depois de pouco mais de seis anos à frente da OMUNGA Grife Social, que depois se transformou em OMUNGA Grife Social e Instituto, eu sentia um cansaço e certa frustração por não ter conseguido fazer com que a OMUNGA subisse alguns degraus e estivesse mais próximo daquilo que sempre sonhei. Mas 2019 já se aprestava como um ano marcante.

Reestruturamos nosso time e contamos com aliados como a Incubadora CAUSE que faz parte do Parque de Inovação Tecnológica de Joinville e Região – Inovaparq, o Programa VOA da Ambev, além de voluntários, assinantes, doadores e investidores.

Revisamos processos, objetivos, comunicação, relacionamento com doadores, assinantes e pessoas que compram nossos produtos. Escrevemos projetos, nos aproximamos de grandes investidores com êxito, mesmo assim, não imaginava que o desfecho de 2019 fosse tão surpreendente.

No dia 2 de outubro de 2019, recebemos uma mensagem da produtora responsável pelo quadro The Wall do programa Caldeirão do Huck, convidando-nos para inscrição no respectivo quadro. Ainda sem acreditar, mas felizes, aceitamos o convite e iniciamos um processo de validação de nossa causa, projetos, estrutura, desafios, necessidades e a escolha da dupla que me acompanharia na gravação do quadro.

Eu tinha muitas opções na minha cabeça: amigos, familiares, voluntários, parceiros, beneficiados… mas não demorou para eu escolher o Giu Vivente, meu melhor amigo e cofundador da OMUNGA; e Cristiane, Gestora do Instituto OMUNGA.

 

 

O Giu foi a pessoa com quem dividi os primeiros insights da OMUNGA, foi o primeiro a me apoiar e que sempre esteve ao meu lado nos momentos bons e nas situações mais desafiadoras. A Cristiane, por ter aceitado estar ao meu lado na retomada da OMUNGA, nos novos projetos e nos processos de monetização da OMUNGA.

Mas, sobretudo, pelo fato de os dois estarem ao meu lado nos momentos em que quase deixei de acreditar em mim mesmo. Claro que recebi apoio de muitas pessoas, mas esses dois foram além, souberam lidar com minhas fraquezas e potências. Não foi uma ou duas vezes que, durante a madrugada, me disseram: “Estamos aqui! Levanta! Nós vamos contigo”!

E assim é até hoje.

Feita a escolha e passada a fase do preenchimento de formulários, questionários, entrevistas por telefone e gravação de vídeos justificando nossa causa e, consequentemente, nossa participação, dia 10 de dezembro, chegávamos a um estúdio em São Paulo para enfrentar a “Grande Parede”.

Tivemos nosso dia de “pop star”, pois a produção do programa foi impecável com cada detalhe e toda orientação necessária para deixar-nos muito à vontade e aproveitarmos da melhor maneira essa oportunidade. Sentíamos que os produtores, maquiadores, figurinista, redator, diretor do programa, responsável pela luz e som, plateia, enfim, todos! Eles estavam na mesma vibe que a nossa. Parecia que todos eram OMUNGA.

 

 

Enquanto aguardávamos o apresentador, ficamos atrás do palco canalizando e trocando boas energias, fazendo orações, a Cris, o Giu e eu.

Quando ouvimos a voz do Luciano Huck fazendo abertura do quadro, interagindo com a plateia, não nos contivemos de emoção. Abracei o Giu e disse: “É agora, meu parceiro, muito obrigado por tudo”. E fomos!

Sinceramente, eu não lembro de nada do que aconteceu depois. Eu estava tomado por muitas emoções, pois, de forma involuntária, situações, pessoas, desafios, noites mal dormidas, conversas vinham em minha mente como se fosse uma retrospectiva contínua, enquanto eu fazia parte do jogo.

 

 

No entanto, a preparação da equipe de produção, somada à forma com que o Luciano conduziu aqueles momentos, deixou-me mais calmo e presente. A sensação que eu tinha era que ele realmente sabia do que estava falando, dos desafios que superamos e dos que nos aguardam, o tamanho de nosso sonho, o respeito pelos beneficiados e quão genuína é a nossa #omungasoul.

Nem sempre a sorte esteve do nosso lado. Acertar todas as perguntas não era garantia de um grande prêmio e combinar previamente que o contrato que fazia parte do jogo fosse rasgado também não me parecia a melhor ideia. Nada seria do meu, do nosso jeito. Eu não tinha controle sobre nada.

Olhar para a Cris e perceber que eu não estava ali sozinho me acalmava. A sensibilidade do Luciano em perceber a vibe, pausar o jogo para ouvir, falar, compartilhar fazia com que a minha concentração se restabelecesse. Ele foi incrível!

 

 

Quando o Giu voltou para o palco, eu não tinha certeza do desfecho e nem sabia mais o que realmente importava. Pois, estar ali já era um grande reconhecimento para todos nós e para as pessoas que fazem ou fizeram parte de nossa história até aquele momento.

É claro que eu desejava um grande prêmio, pois não existe transformação social sem recursos, mas de modo particular, estar lá já era o grito de vitória que estava engasgado há muito tempo.

 

 

Quando o Giu disse que havia rasgado o contrato, quando a Cris apareceu para nos abraçar, esse grito de vitória ecoou e eu desabei! De acordo com as regras do programa, o prêmio de R$ 151.886,00 será usado única e exclusivamente em projetos como a construção de novas bibliotecas.

O valor para viabilizar a construção de uma biblioteca da OMUNGA, varia muito, de acordo com as doações de livros, das contrapartidas e apoios de empresas e do poder público. Assim, definimos que o foco será a construção da biblioteca que faz parte do novo projeto da OMUNGA que será lançado em breve: Projeto OMUNGA na Amazônia.

A gravação durou cerca de duas horas e deu origem a três blocos de 20 minutos, o que é comum em programas desse contexto. Lá, lembrei-me com emoção de muitas pessoas e gostaria que elas soubessem disso ao assistir o programa, mas nem todas foram exibidas. No entanto, independentemente de ter ido ao ar ou não, gostaria de ressaltar que as conquistas da OMUNGA são reflexo de um movimento coletivo. De pessoas que se aproximaram, se envolveram, se entregaram. Algumas partiram para novos objetivos, outras permanecem conosco até hoje, por isso, MUITO OBRIGADO a todos.

Eu não posso ser responsabilizado por isso sozinho.

O difícil foi guardar segredo, já que assinamos um contrato de confidencialidade com severas penalidades caso divulgássemos fotos de nossa participação ou a premiação. Foi muito difícil, mas valeu todo esforço.

Após a exibição do programa, senti um pouco, de leve, o sabor da fama. Ser reconhecido por algo bom e que inspire as pessoas é gratificante e motivador. Não é o fato de me reconhecerem nas ruas, em restaurantes, supermercados, aeroporto ou num barco que cruza o Rio Javari no interior da Amazônia que faz a diferença para mim, mas a mensagem que conseguimos deixar.

 

 

 

Assinantes, parceiros e entusiastas da OMUNGA, acompanhando o programa do Caldeirão do Huck, na torcida.

 

Em um desses momentos, alguém me abordou para uma foto, pediu um abraço e relatou: “Eu torci demais por vocês e, depois do programa, me deu uma vontade tão grande de ajudar alguém que voltei a ajudar um abrigo para crianças e para idosos”.

A fama é passageira, mas esses comportamentos colaborativos, fazer parte de uma causa, pode ser permanente. O único ponto que lamentamos foi que, durante a exibição do programa, surgiram dezenas de perfis fakes da OMUNGA em busca de seguidores e de recursos de forma fraudulenta. Perfis que usaram nossas fotos e de crianças e professores beneficiados por nossos projetos para ganho ilícito. Denunciamos todos e pedimos para que nossos seguidores denunciassem também. Ainda bem que existem muito mais pessoas boas do que podemos imaginar, acreditamos nisso.

 

 

Agora, estamos mais fortalecidos e ainda mais determinados, mesmo considerando que nossa responsabilidade aumentou muito também.

Agradecemos demais aos assinantes, doadores, pessoas que compram nossos produtos, parceiros, investidores, mentores, conselheiros, ao nosso TIME INCRÍVEL, pois, sem eles, nada disso seria possível.

A OMUNGA não é apenas um negócio e nem uma ONG repleta de boas intenções, é um projeto de vida. Por isso, sei que muitas coisas boas ainda estão por vir e eu estarei cada vez mais fortalecido para levar nossa causa para onde for possível e juntos, construirmos um mundo melhor, por meio da educação.

Com toda sinceridade que me é possível,

 

Roberto Pascoal
Empreendedor Social e Fundador da OMUNGA Grife Social e Instituto
[email protected] | 47 3437 0651

 

Com a colaboração do escritor e redator Jura Arruda: [email protected] | https://www.facebook.com/jurandydearrudaneto

 

Assista nossa participação no Caldeirão do Huck na íntegra:

 

 

Em nosso canal do Youtube, disponibilizamos os momentos finais do programa com legendas em inglês e em libras. Afinal, se a educação é para todos, a comunicação também deve ser!

 

 

Saiba mais sobre nossos voluntários:

Interprete de Libras | Patrícia Medeiros
https://www.facebook.com/patricia.medeirosmendesnandi
[email protected]

Vídeo Box Pro
https://www.facebook.com/Videobox-423998547686146/
[email protected]

Tradutor | Maurice Strauss
https://www.facebook.com/maurice.strauss
[email protected]